Melhores Brinquedos

Brinquedos Mais Legais do Mundo

Videogames

videogmae

No Brasil, a palavra videogame é usada tanto para designar um jogo eletrônico quanto as plataformas nas quais esses jogos são jogados. Essas plataformas podem ser computadores, aparelhos celulares ou os arcades. Em território brasileiro, no entanto, popularizaram-se na infância de muitas pessoas, no entanto, os consoles.

Esses consoles são sistemas eletrônicos que utilizam um aparato audiovisual, quase sempre uma TV ou monitor, para funcionarem. Por meio de um controle, também chamado de joystick, a pessoa interage com esse sistema e participa de um jogo virtual.

Populares desde os anos 80, principalmente, esses brinquedos conquistaram seu espaço rapidamente seu espaço junto às crianças e adolescentes. Embora não façam parte dos primeiros anos de muitas gerações, atualmente são considerados brinquedos que fazem parte do cotidiano de todas as idades.

Abaixo trazemos um brevíssimo resumo sobre alguns dos consoles mais famosos de todos os tempos.

Atari 2600

O Atari 2600 foi lançado em 1977 nos Estados Unidos e apenas em 1983 no Brasil. Ele é um símbolo pop e cultural da década de 80 em todo o mundo. Por isso mesmo marcou a infância e a juventude de muitos brasileiros, com jogos como Space Invaders.

NES e Super NES

O Nintendo Entertainment System, mais conhecido como NES no mercado ocidental, é um dos videogames mais populares de toda a história. Lançado pela Nintendo, foi na época, entre 1983 e 1985, o maior sucesso comercial do ramo. Foi o grande responsável pelo renascimento da indústria de jogos, impulsionando-a em todo o mundo.

Posteriormente, a Nintendo lançou uma versão atualizada e melhorada do seu NES. O Super NES foi um sucesso ainda maior, com jogos que rivalizavam em qualidade com os de uma geração para frente. Entre os seus jogos mais famosos estão Donkey Kong Mario.

A Nintendo continuou a crescer e desenvolveu uma série de videogames em gerações futuras. Os seus portáteis são muito famosos, como o Game Boy e os Nintendo DS. Além disso, investiu em consoles de mesa mais modernos, como o Wii. Mais recentemente foi responsável pela criação do Nintendo Switch, que é um híbrido entre portátil e videogame de mesa.

Master System e Mega Drive

A SEGA tentou competir sem sucesso com a Nintendo e lançou na década de 1980 o Master System. Não obteve resultados positivos nos mercados americanos e japoneses. Na Europa e na Austrália fez bastante sucesso, no entanto.

No Brasil, o Master System foi muito bem-sucedido, principalmente por ser comercializado pela Tec Toy, a partir de 1989. A empresa investiu pesado nessa comercialização, com muita publicidade e parcerias. Jogos como Sonic Street Fighter fizeram muito sucesso na época.

Um ano depois foi a vez do Mega Drive chegar ao Brasil, também desenvolvido pela SEGA. Ele fez um sucesso estrondoso em todo o mundo. O Mega Drive tornou ainda mais popular entre as crianças a personagem Sonic.

Família PlayStation

playstation 4A também japonesa Sony desenvolveu o PlayStation, um dos videogames mais vendidos do mundo. Foi parte da infância de muitas pessoas, trazendo uma tecnologia revolucionária para a indústria na época.

Com base nesse primeiro modelo, foram desenvolvidos videogames portáteis e outros consoles de mesa. Atualmente a família PlayStation se encontra na oitava geração, no PlayStation 4.

Família Xboxxbox one

Assim como a Sony, que possui uma grande variedade de videogames fabricados, a Microsoft investiu na produção de sua “família” da consoles. O primeiro a ser desenvolvido foi o Xbox, que já ganhou pelo menos mais três irmãos de peso.

Barbie

barbie cabelos azuis

Apesar de bonitona, a Barbie já completou 60 anos. Ela foi criada em 1959, pela empresária Ruth Handler. Ela teve duas inspirações cruciais, a sua filha Bárbara, que brincava com bonecas de papel; e uma boneca similar produzida na Alemanha, a Bild Lilli (que, cá entre nós, era muito feia). Em uma viagem para a Europa, Ruth comprou a boneca Bild Lilli e levou para a sua filha para ver como ela reagiria.

Contente com o resultado, Ruth levou a versão alemã para um designer e criou a famosa Barbie, apelido de Bárbara em inglês. No início, a boneca era vendida a apenas três dólares. Hoje em dia temos Barbies que valem milhares de dólares, como as edições de luxo e limitadas. E não tardou muito para que a Barbie ganhasse um namorado. Em 1961, Ruth criou o Ken e, depois disso, diversos outros personagens deste universo, para meninas e meninos!

Bonecas, Barbies e afins

Aliás, se você pensa que boneca é coisa da atualidade, esqueça isso. No antigo Egito já se faziam bonecas para as crianças. Existem registros que mostram que as bonecas são populares há mais de quatro mil anos. Pois é, a Barbie não é novidade.

A diferença é que as civilizações antigas usam as esculturas femininas para fins religiosos e hoje em dia boa parte do culto se perdeu. As Barbies não servem nenhum outro propósito que não seja brincar.

De porcelana, de plástico, de tecido e de vários outros materiais, as bonecas se tornaram objetos de prestígio. Você sabia que a primeira fábrica de bonecas no mundo, surgiu na Alemanha, em 1413?

Apesar de antigas, elas não foram produzidas e comercializadas em escala industrial desde sempre. E mesmo hoje vemos uma tentativa de retorno ao hand made, com bonecas personalizadas, feitas à mão e customizadas.

Fazer bonecas é algo bem divertido e que as crianças costumam gostar muito. O bacana da atividade é que os pequenos podem entender mais sobre representatividade dessa forma. Até porque as bonecas são legais, mas são completamente padronizadas.

Loiras, de olhos azuis e com cabelos lisos, as Barbies são tendência e todos querem ser como elas. Ou melhor, nem todos. Atualmente já vemos movimentos de fábricas de brinquedos produzindo bonecas diferenciadas, inclusive com deficiências físicas, para que haja mais identificação entre o brinquedo e a criança.

Bonecos de ação

bonecos de ação

E não podemos falar de bonecas sem nos lembrarmos dos famosos bonecos de ação. Quem cresceu nos anos 1980 com certeza teve um ou mais desses brinquedos legais e baratos. Mas na verdade os action figures, do inglês, são mais antigos. Os primeiros do mercado foram os da linha G.I. Joe, de 1964. No Brasil, eles ficaram conhecidos como Comandos em Ação.

Os bonecos basicamente cumpriam o mesmo papel da Barbie, porém com um foco maior no público masculino. Por isso, eles tinham roupas do exército, eram musculosos e possuíam armas como acessórios. Existem vários tipos desses bonecos, mas os mais conhecidos são aqueles verdes pequeninos, com roupas e armas esculpidas diretamente no corpo do brinquedo. Eles são tão marcantes que inclusive ganharam espaço na clássica saga do Toy Story.

Atualmente eles são colecionáveis e podem custar uma fortuna no Mercado Livre.

Ursos de pelúcia

urso de pelucia

Os ursos de pelúcia são adorados em todo o mund. Engana-se, no entanto, quem pensa que esses brinquedos são feitos apenas para crianças. Muitos adultos amam colecionar esses bichinhos! Afinal, são fofos e muito gostosos de abraçar.

A origem desses brinquedos é que é um pouco controversa. Há pelo menos duas versões diferentes a respeito de que como os ursinhos de pelúcia foram inventados, e ambas remontam ao início do século XX.

A versão mais famosa relaciona esses brinquedos ao ex-presidente dos Estados Unidos da América, Theodore Roosevelt. No ano de 1902, o presidente teria se recusado terminantemente a participar de uma caçada a ursos. Como forma de homenagear a honrada atitude do governante, uma empresa de fabricantes de bonecos teria resolvido criar um urso chamado de teddy-bear.

A segunda versão nos leva à Alemanha, para o ano de 1903. O desenhista de brinquedos Richard Steiff teria visitado uma exposição de ursos de verdade, o que lhe fez ter a ideia de criar um urso de brinquedo. No mesmo ano ele teria apresentado sua criação, chamada de Friend Petz, em uma feira em Leipzig.

Carrinhos de miniatura

carrinhos hot wheels

Interessante dizer que desde os gregos há indícios de que o homem brincava com carros. Em vasos e em pinturas datadas da Antiga Grécia, percebe-se miniaturas de carros de tração ao lado de crianças.

Os carrinhos de miniatura como conhecemos hoje surgiram mais ou menos na mesma época que os automóveis reais, no entanto. Inicialmente eles eram de madeira, tentando imitar os primeiros modelos criados pela francesa Renault no início do século XX.

A evolução das indústrias e o desenvolvimento de novos materiais permitiu que as miniaturas de automóveis deixassem de ser madeira. Atualmente são produzidos a partir das mais diversas matérias-primas, como ferro, alumínio, acrílico, metal e plástico.

Hoje ainda se encontram os primeiros carros de brinquedo feitos de madeira. No entanto são raros e costumam custar uma fortuna, visto que costumam fazer parte de raríssimas coleções. Além disso há empresas dedicadas unicamente à produção desses brinquedos, como a Hot Wheels. São brinquedos baratos e legais, mas bem diferentes dos carrinhos elétricos, bem grandes, que existem hoje em dia.

Skate

skate

Ainda que o skate seja hoje um esporte reconhecido e praticado mundialmente, sua história é mais antiga. Muitas crianças brincaram com essa “prancha sobre rodas” sem imaginar que sua origem é os mares da Califórnia.

Acredita-se que os surfistas californianos da década de 60 tenham criado a modalidade. Em épocas de maré baixa ou mesmo de seca, eles teriam levado a ideia da prancha para as ruas. Esse surf na cidade foi chamado inicialmente de sidewalk surf.

Apenas na década de 1970, no entanto, que a modalidade ganhou mesmo popularidade. Em 1973 foram inventadas as rodinhas de uretano, pelo estadunidense Frank Nasworthy, o que facilitou a prática do skatismo.

Na mesma década, em 1975, houve mais uma revolução no mundo do skate, com a introdução de movimentos do surf. Já em 1979, a manobra mais famosa e supostamente mais simples, o Ollie, foi criada. A partir da criação do Ollie, a prática, que começou como uma brincadeira, nunca mais foi a mesma. Hoje as crianças procuram pelo melhor skate, ou pelo melhor hoverboard, as coisas estão sempre evoluindo mesmo.

Soldadinhos de Chumbo

soldadinhos de chumbo

Um dos brinquedos mais marcantes de muitas infâncias é o soldadinho de chumbo. Hoje é visto como uma peça raríssima e parte de coleções. Eles são miniaturas humanas, que normalmente representam figuras militares. Há quem compre-os já prontos, enquanto há quem prefira comprar a matéria-prima para moldar artesanalmente.

A ideia de brinquedos de figuras humanas em miniatura é muito antiga. Arqueólogos encontraram peças semelhantes aos soldadinhos de chumbo que datam do Egito Antigo, da Grécia Antiga e da China. Essas figuras eram feitas, no entanto, de pedra, madeira ou barro.

Somente a partir do século XVI que começaram a despontar as primeiras figuras humanas em miniatura feitas de chumbo. A comercialização dos soldadinhos iniciou-se no século XVIII, na Inglaterra, pelas mãos da empresa Newton. A ideia era representar o exército britânico.

O chumbo, no entanto, começou a perder popularidade aos poucos. Primeiro porque era muito caro fazer as miniaturas nesse material, além de ele não permitir uma riqueza de detalhes nos brinquedos. Além disso, por volta da década de 1960, fabricar brinquedos em chumbo foi mundialmente proibido, por ser um material tóxico.

Desde a Segunda Guerra Mundial, portanto, que esses soldadinhos passaram a ser fabricados em plástico apenas. Ganharam maior riqueza de detalhes e passaram a ser vendidos ou em conjuntos ou individualmente, a preços bastante atrativos.

Porém a partir de 1970 a fabricação dessas figuras decaiu, visto que o antimilitarismo começou a criar uma consciência pacifista em todo o mundo. Atualmente, como mencionamos, os soldadinhos de chumbo ou de plástico passaram a ser vistos apenas como artigos de colecionador.

Pião

Quem nunca brincou com um pião? Apesar de ser muito comum na infância de muitas crianças brasileiras, engana-se quem pensa que ele surgiu no Brasil. Aliás, ele é muito antigo, e acredita-se que sua existência remonte a pelo menos 4000 a.C.

É possível encontrar referências a piões em textos literários e em pinturas de artistas famosos da antiguidade. Foram encontrados restos de piões feitos em argila nas margens do Rio Eufrates. Acredita-se que os romanos também tenham se divertido com esse brinquedo.

Ainda que o exemplar mais antigo em exposição, no Museu Britânico, tenha sido encontrado em Tebas, com data de 1250 a.C., acredita-se que povos do oriente tenham levado o pião para os ocidentais. No Japão é uma tradição, e há, inclusive, festivais destinados ao jogo do pião.

Em muitas culturas antigas, esse brinquedo teve ainda uma conotação mágica e mística. Já foi usado em rituais de adivinhação e de xamanismo.

Funcionamento do pião

Existem diversos tipos de pião. Normalmente são feitos a partir de madeiras duras e resistentes, para que os brinquedos não sofram com os impactos constantes contra o solo. Os mais atuais são feitos, como é óbvio, com plástico. Há alguns fabricados também com fibra de carbono.

Em termos de design, o desenho dos piões é diferente de época para época e de região para região. Costumeiramente é cônico, de modo que possa propiciar o efeito de giroscópio. Esse efeito só é possível também graças à ponta, normalmente feita de ferro.

Essa ponta pode ser achatada ou afiada. A achatada causa menos danos no solo, além de ser mais segura para crianças. Esse tipo de pião gira mais rápido, porém por menos tempo. A afiada, sempre de ferro, penetra em solos moles e tem mais chance de danificar o corpo do objeto.

Para lançar o pião ao solo, é preciso enrolá-lo em uma corda. Assim que enrolá-lo, há todo um movimento que deve fazer para que o objeto gire em seu próprio eixo.

Futebol de botão

O futebol de botão, também conhecido como futebol de mesa, foi inventado por um brasileiro. Geraldo Cardoso Décourt criou esse brinquedo em 1930. Inicialmente os botões eram de madeira.

Posteriormente, os botões passaram a ser feitos de plástico. A partir de então, o jogo, que inicialmente era apenas uma brincadeira, gradativamente alcançou o Brasil todo e posteriormente o mundo.

Décourt contribuiu muito para isso, uma vez que criou diversos eventos e competições do jogo. Essas competições ocorriam nas mais diversas superfícies, com botões feitos dos mais diversos materiais. Demorou algumas décadas, por exemplo, para que se industrializasse a produção de botões padronizados, com as cores dos times brasileiros de futebol, por exemplo.

Desde 1977 o futebol de botão foi oficializado como um esporte no Brasil. Há uma confederação nacional que rege o esporte, assim como há as federações estaduais. O nome oficial do esporte, no entanto, passou a ser mesmo futebol de mesa, visto que a palavra botão é associada a uma brincadeira infantil.

Modalidades

Existem cinco modalidades oficiais do esporte no Brasil. O futebol de botão, no entanto, era na infância um jogo sem muitas regras definidas. Muitas crianças, é claro, estabeleciam combinações prévias ao jogo, para que as partidas fossem justas.

Muitas dessas regras estavam e ainda estão relacionadas ao número de toques que cada jogador pode dar. O objetivo do jogo, obviamente, é marcar gols e vencer os adversários. Enquanto brincadeira infantil, não segue regras oficiais do futebol real.

Há modalidades do futebol de mesa, no entanto, que trazem para a mesa dos “botões” todas as regras dos gramados reais. É o caso da Modalidade dos 3 Toques, também conhecida como “Regra Carioca”.

Bolinha de gude

A bolinha de gude não é uma invenção moderna, por incrível que pareça. Ela existe desde o tempo dos gregos. O nome, aliás, tem origem no provençal, vindo da palavra “gode”. O significado é “pedra redonda e lisa”.

Há várias formas de jogar bolinha de gude. Uma delas envolve desenhar um triângulo na areia. Em cada ponta de vértice se coloca uma bolinha. O objetivo é acertar as bolas posicionadas no chão. Quem conseguir, fica com a bolinha e continua jogando.

O que se popularizou na infância de muitos jogadores foi colocar várias bolinhas dentro do triângulo. Isso dava maior longevidade às partidas, como se fossem partidas de sinuca ou de bilhar.

Ganha o jogo, de qualquer das formas, quem ficar com mais bolinhas ao final da partida.

Dominó

dominóAcredita-se que o dominó tenha surgido na China, mas não há comprovação disso. Tradicionalmente é um jogo composto por 28 peças em formato de paralelepípedo. Cada peça tem duas faces ou pontas. Essas faces estão marcadas por pontos que denotam valores numéricos, de um a seis. Podem ser deixadas em branco, caso representem o número zero.

Há muitas formas de jogar os dominós. No Brasil, é hábito que cada sessão de jogo tenha quatro participantes. Cada um recebe, portanto, 7 das 28 peças. O objetivo é ficar sem peças na mão. Para tanto, os jogadores colocam as peças de números iguais umas encostadas nas outras.

Caso o jogo fique fechado, sem possibilidade de adicionar uma peça, a rodada termina. O vencedor é que aquele que, somando toda as peças na mão, tem a soma menor. É possível jogar apenas uma rodada, embora o mais comum seja os jogadores fazerem várias rodadas.

Efeito dominó

O jogo dominó deu origem a uma variante muito famosa. Ela consiste em colocar dezenas, centenas e até milhares de peças de dominó próximas umas das outras. Elas podem estar em linha reta ou seguindo direções diferentes. Essa modalidade consiste em derrubar a primeira peça, para que ela empurre a seguinte e assim sucessivamente, até todas caírem.

Há eventos em vários países dessa modalidade. Muitas vezes elas envolvem outros objetos que não só os dominós. São verdadeiros espetáculos, pois as peças costumam formas imagens ou figuras após toda caírem.

Essa modalidade deu origem à expressão “efeito dominó”. Isso é quando um pequeno evento, como empurrar uma peça, leva a uma sucessão de acontecimentos que culminam em algo grandioso.

Jogos de tabuleiro

Existem centenas de jogos de tabuleiros em todo o mundo. Eles podem ser baseados em sorte, em estratégia ou, é claro, em uma fusão dos dois. Inicialmente esse tipo de brinquedo simulava um conflito, uma guerra entre oponentes. A maioria desses jogos baseia-se no acúmulo de pontos ou na conquista de posições físicas, mas sempre com o objetivo de derrotar adversários.

Os jogos de tabuleiro podem ter algum tipo de temática, como é o caso do xadrez, ou nenhum tema específico, como é o caso da dama. Há jogos que são simples em termos de regras, como é o jogo da velha. Outros são complexos e podem durar horas, como os RPGs de mesa.

Dessa forma, separamos neste artigo alguns dos jogos de tabuleiro mais comuns na infância. Confira abaixo!

Damas

jogo de damasDamas é um jogo de tabuleiro relativamente simples de compreender. São necessários dois oponentes. Cada um fica com um lado de um tabuleiro quadrado. No Brasil esse tabuleiro é de 8×8, ou seja: com 64 casas. Mundialmente, no entanto, é mais comum o tabuleiro com 100 casas, ou 10×10.

O objetivo é muito simples de compreender, embora não seja fácil de atingi-lo: capturar todas as peças do adversário. Um jogador, portanto, recebe no tabuleiro 8×8, por exemplo, 12 peças brancas, enquanto outro recebe 12 peças pretas.

As peças precisam ser dispostas sobre o tabuleiro sempre sobre as casas escuras. Elas só podem se movimentar diagonalmente e sempre para sempre, uma casa por vez. Em termos de captura de peças, no entanto, é possível movimentar-se tanto para frente quanto para trás.

Quem chegar à oitava casa, partindo da sua primeira linha de peças, forma uma dama. A dama tem amplo movimento e pode capturar várias peças em sequência.

Esse jogo não tem uma origem certa. Sabe-se, no entanto, que algo parecido existia no tempo dos gregos antigos e mesmo no tempo dos sumérios.

Xadrez

jogo de xadrezO xadrez é um dos jogos mais populares que existem. Assim como a dama e como outros jogos de tabuleiro, simula o enfrentamento entre dois lados de uma guerra. Aqui isso é ainda mais evidente, já que há literalmente dois exércitos no tabuleiro. Um é composto por peças brancas, enquanto o outro é composto por peças pretas.

Cada enxadrista, como são chamados os jogadores, controlam 16 peças cada um. As brancas dão sempre o primeiro movimento, em um tabuleiro com oito fileiras e com oito colunas. São, portanto, 64 casas. Cada peça tem um tipo de movimento diferente, o que torna o jogo bastante estratégico.

O objetivo do xadrez é dar o xeque-mate, ou seja: fazer com que o rei inimigo não consiga se mexer sem estar sob ataque direto. Quando ele é atacado, mas consegue se mexer, dizemos que está apenas sob xeque.

Ao longo do jogo, eventualmente os jogadores capturam peças adversárias. Cada peça tem um valor específico, que pode ser levado em consideração dependendo da forma como se joga. As regras do xadrez são muito complexas, sendo esse, portanto, um jogo que exige muito estudo e muita prática.

A origem do xadrez é, assim como a de muitos jogos de tabuleiro, incerta. Durante muito tempo achou-se que teria surgido na China ou no Antigo Egito. Hoje já há quem aponte a Índia como berço do jogo.

Monopoly ou Banco Imobiliário

jogo monopolyNa maior parte do mundo esse jogo é conhecido como Monopoly, embora no Brasil seja chamado de Banco Imobiliário. Ele fez parte da infância de muitas pessoas, sendo um dos brinquedos mais populares de todo mundo.

Sua história começa com Charles Darrow, na Pensilvânia, nos Estados Unidos da América. A ideia era criticar a política econômica da época, o que deu bastante certo. A empresa que comprou o Monopoly de Darrow, a Parker Brothers, foi posteriormente adquirida pela Hasbro, e ambas mantiveram Charles como inventor do jogo.

No Brasil, o Banco Imobiliário usou localidades e propriedades famosas das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. A ideia do jogo, portanto, é comprar e vender propriedades, sejam elas empresas, bairros inteiros, casas e hotéis. Vence quem não for à falência.

Com o passar dos anos foram lançadas versões diferenciadas do jogo. Há um voltado para propriedades de luxo, enquanto outro traz uma temática sustentável. O Super Banco Imobiliário, por exemplo, traz a possibilidade de usar cartões de crédito e débito, além das notas de dinheiro.

War

war jogo de estratégiaWar tem sua origem na França, em 1957. Ele ficou famoso, no entanto, em 1959, quando a Parker Brothers lançou uma versão chamada de Risk. Foi na década de 1970 apenas que o jogo chegou ao Brasil, mais especificamente em 1972, com a criação da empresa Grow, que criou o War.

War, assim como Risk, é jogado em um tabuleiro que traz o mapa do mundo. Ele se divide em seis regiões: África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Europa e Oceania. Os jogadores recebem uma carta, com um objetivo. Quem cumprir primeiro o seu, é declarado o vencedor.

Em cada rodada, os jogadores podem adicionar exércitos ao mapa. Esses exércitos podem atacar os territórios inimigos, de modo a conquistá-los. Como as partidas são por turnos, com dados e contando com a sorte, podem durar horas.

Assim como ocorre com Banco Imobiliário, há várias versões diferentes de War oficiais. Há uma continuação do primeiro jogo, com implementação de novas cartas e de unidades militares. Há, também, a versão sobre o Império Romano.

Pipa

A pipa é um dos brinquedos mais simples. Também chamada de pandorga ou de papagaio, consiste em empinar um objeto contra ou a favor do vento. Esse objeto é preso a uma corda, que fica sob o controle de uma pessoa.

Basicamente ela é composta por um papel, que funciona como uma asa. Os modelos mais elaborados podem contar com a chamada rabiola, que proporciona aerodinâmica a estabilidade.

Sua origem está na China. As pipas foram usadas primeiramente como sinais militares. Eram utilizadas para emitir mensagens entre agrupamentos, de acordo com seu formato e com suas cores.

Apesar de as pipas poderem ser soltas em qualquer lugar, atualmente recomenda-se que elas sejam soltas apenas em campo aberto, longe de fios elétricos. Isso porque já deu muito acidente, principalmente incêndios, causado por brincadeiras imprudentes com esse tipo de brinquedo.